quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Amigo (a) Securitário (a): Vamos lutar por um direito que é nosso e que a CEF e o Governo Federal  ignoram há anos.

Prezado (a) Companheiro (a) Securitário (a),

            O Sindicato dos Securitários do Estado do Rio Grande do sul está ingressando na Justiça com ações coletivas para resgatar a correção monetária sobre os depósitos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, não aplicada desde 1999.
            O rombo chega a milhões de reais, pois a correção que deixou de ser aplicada nas contas do FGTS dos trabalhadores vai de 48,3% a 88,3%.
            As perdas dos trabalhadores são enormes e o escritório de advocacia contratado pelo Sindicato apontou que entre 1999 até 2013 os cálculos da correção do FGTS não sofreram atualizações da forma que deveria.
            Isso faz com que o patrimônio do trabalhador esteja indo para o ralo, por causa das mudanças operadas pelo Governo e Caixa Econômica Federal na remuneração das contas do FGTS.
            Pelos cálculos que a  FENESPIC elaborou, um trabalhador,  que no ano de 1999 tinha na conta do FGTS R$ 1.000,00 hoje tem R$ 1.340,47.
            Na verdade se as regras não tivessem sido alteradas e a taxa referencial (TR) não tivesse sido manipulada, deveria ter R$ 2.586,44. Isso significa que está perdendo R$ 1.245,97. É essa diferença, que nesse caso chega a 88,3%. A FENESPIC, por intermédio de seus Sindicatos Filiados está reclamando na Justiça.
            A ação coletiva é patrocinada pelo Sindicato dos Securitários e dará entrada na Justiça em nome dos securitários.
            Por esta razão, trabalhadores e trabalhadoras, é importante que vocês compareçam ao Sindicato para assinar a autorização de participação na ação judicial. É ela que vai legitimar o seu processo e o de inúmeros trabalhadores na revisão do seu saldo do FGTS.
            Na ação estamos entrando com pedido de liminar. Isso significa que se a Justiça conceder a liminar o Governo será obrigado a efetuar a correção devida de imediato.

TIRE SUAS DÚVIDAS E SAIBA COMO PEDIR A REVISÃO DO SEU FGTS

Como fazer para entrar com a ação?
            Você deve procurar o Sindicato da sua categoria munido dos documentos abaixo, para participar da ação coletiva.
Quais são os documentos necessários?
            Ao procurar seu sindicato, leve os seguintes documentos: Cédula de Identidade, comprovante de endereço, PIS/PASEP (cópia da CTPS), Extrato do FGTS (Caixa Econômica Federal) e Carta de Concessão do Benefício (no caso dos aposentados).
Tenho que pagar alguma coisa?
            O custo para ingressar com a ação é gratuita para os associados do Sindicato e de R$ 100,00 (cem reais) para os não sócios, pagos uma única vez o qual será recebido pelo Sindicato e encaminhado ao Escritório de Advocacia junto com toda a documentação e 20% de honorários advocatícios referente ao valor da condenação que será pago no final da ação, em caso de êxito conforme contrato assinado pelas partes.
Quem tem direito à revisão?
            Todo brasileiro que tenha tido algum saldo em seu FGTS a partir de 1999, esteja ele aposentado ou não.


Maiores Informações entre em contato com a Secretaria Geral do Sindicato dos Securitários

Nenhum comentário:

Postar um comentário